Mudanças entre as edições de "Probabilidade básica"

De Física Computacional
Ir para: navegação, pesquisa
 
(2 revisões intermediárias pelo mesmo usuário não estão sendo mostradas)
Linha 10: Linha 10:
 
<li><p>Definição clássica (a priori):</p></li></ul>
 
<li><p>Definição clássica (a priori):</p></li></ul>
  
<p><math display="block">P\left(A\right)=\frac{N\left(A\right)}{N\left(\Omega\right)}=\frac{\text{numero de resultados do evento A}}{\text{número de resultados exclusivos e igualmente possíveis}}</math></p>
+
<p><math display="block">P\left(A\right)=\frac{N\left(A\right)}{N\left(\Omega\right)}=\frac{\text{numero de resultados do evento A}}{\text{numero de resultados exclusivos e igualmente possiveis}}</math></p>
 
<ul>
 
<ul>
 
<li><p>Definição frequentista (a posteriori):</p></li></ul>
 
<li><p>Definição frequentista (a posteriori):</p></li></ul>

Edição atual tal como às 16h44min de 19 de maio de 2021

Anterior: - | Índice: Ecologia | Próximo: Linearização de sistemas de equações não lineares

Conceitos importantes:

  • Experimento aleatório: experiência cujo resultado não é conhecido com certeza;

  • Espaço amostral : conjunto formado por todos os possíveis resultados um experimento aleatório;

  • Eventos: subconjuntos do espaço amostral;

  • Espaço equiprovável: espaço em que todos os pontos amostrais tem a mesma chance de ocorrer;

  • Probabilidade de ocorrer um evento:

    • Definição clássica (a priori):

    • Definição frequentista (a posteriori):

    • Definição axiomática:

      • Se são eventos mutuamente exclusivos, então:

  • Eventos exclusivos: :

    • Eventos complementares: e

  • União dos eventos (A ou B):

  • Probabilidade condicional (probabilidade de ocorrer A, se ocorrer B):

Para eventos independentes:

Então para eventos independentes temos que a probabilidade de ocorrer o evento A e B é:

Mas para um caso mais geral:

Ou seja a probabilidade de ocorrer os dois é a probabilidade de ocorrer o evento B () multiplicado pela probabilidade de ocorrer o evento A se ocorrer o evento B , ou o contrário. Como exemplo vamos analisar duas formas de encarar a probabilidade de uma presa morrer, para isso vamos definir algumas coisas:

  • Os animais podem ser extintos por predação e outros fatores naturais (falta de alimento, idade, etc);
  • Os parâmetros são definidos em  ;
  • Será utilizada a interpretação à priori:
    • , no evento a presa é extinta por outros fatores naturais e sobrevive.
    • , onde a presa é predada e sobrevive.

O primeiro caso é computando a probabilidade total da presa ser extinta como . Ou seja é como se cada presa tem 40% de chance no total de ser extinta, onde desses 40%, 20% é devido a predação e 20% por outros fatores naturais. A probabilidade então de ser extinta, considerando que é dada pela união dos conjuntos que dizem respeito a ser predada e ser extinta por fatores naturais é:

Temos . Então se ocorreu , não pode ocorrer , , ou vice-versa, são eventos mutuamente exclusivos. Ou seja, as combinações possíveis onde não ocorre extinção é:

Lembrando não podemos repetir os eventos, nem de extinção, nem de sobrevivência. Se retirarmos a extinção no primeiro evento não podemos retirar no segundo, por exemplo ou , , então o espaço amostral total é:

A probabilidade de ocorrer extinção é . Outra forma de computar a probabilidade total de uma presa ser extinta, é tratar a probabilidade de ser extinta por causas naturais (), e a probabilidade de ser predada a cada encontro com predador () como eventos independentes. Portanto a probabilidade total da presa ser extinta neste cenário é . Isto é:

Agora a probabilidade é . Que é o mesmo resultado se fazemos

Principais materiais utilizados
  1. Introdução à Teoria das Probabilidades (Victor Hugo Lachos Davila, UNICAMP)


Anterior: - | Índice: Ecologia | Próximo: Linearização de sistemas de equações não lineares