Mudanças entre as edições de "Modelos Epidemiológicos"

De Física Computacional
Ir para: navegação, pesquisa
(Modelo SIR)
(Modelo SIR)
Linha 25: Linha 25:
 
[[File:sir_model.png|right|300px|thumb|Esquemáto modelo SIR]]
 
[[File:sir_model.png|right|300px|thumb|Esquemáto modelo SIR]]
  
Em 1927 Kermack e McKendrick elaboraram o modelo SIR que tinha como função descrever o comportamento de uma pandemia <ref> MCKENDRICK, A.G.; KERMACK, W. O.. Mathematical Theory of Epidemics. Disponível em: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k56208r/f728.item.langFR </ref>. O modelo SIR é um dos mais simples modelos comportamentais, o qual descreve a variação de três parâmetros ao longo do tempo:  
+
Em 1927 Kermack e McKendrick elaboraram o modelo SIR que tinha como função descrever o comportamento de uma pandemia <ref name = SIR> MCKENDRICK, A.G.; KERMACK, W. O.. Mathematical Theory of Epidemics. Disponível em: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k56208r/f728.item.langFR </ref>. O modelo SIR é um dos mais simples modelos comportamentais, o qual descreve a variação de três parâmetros ao longo do tempo:  
  
 
* Susceptível ('''S'''): Número de indivíduos suscetíveis. Quando um indivíduo suscetível e um infectado entram em contato, o indivíduo suscetível tem uma probabilidade de contrair a doença, caso contraia o indivíduo deixa de ser suscetível e torna-se infectado.     
 
* Susceptível ('''S'''): Número de indivíduos suscetíveis. Quando um indivíduo suscetível e um infectado entram em contato, o indivíduo suscetível tem uma probabilidade de contrair a doença, caso contraia o indivíduo deixa de ser suscetível e torna-se infectado.     
Linha 32: Linha 32:
  
 
* Recuperado ou Removido ('''R'''): Número de indivíduos removidos (recuperados ou mortos pela doença). Indivíduos que foram infectados, tornam-se recuperados ou mortos pela doença, desta forma entram na classificação de indivíduos removidos, já que não são mais suscetíveis a pegar a doença, pois adquiriram imunidade. Assumindo que o número de mortos é irrelevante ao se comparar com a população total, então o parâmetro R recebe o nome de indivíduos recuperados ou resistentes.
 
* Recuperado ou Removido ('''R'''): Número de indivíduos removidos (recuperados ou mortos pela doença). Indivíduos que foram infectados, tornam-se recuperados ou mortos pela doença, desta forma entram na classificação de indivíduos removidos, já que não são mais suscetíveis a pegar a doença, pois adquiriram imunidade. Assumindo que o número de mortos é irrelevante ao se comparar com a população total, então o parâmetro R recebe o nome de indivíduos recuperados ou resistentes.
 +
 +
A dinâmica de uma epidemia geralmente é mais rápida do que os números de nascimentos e óbitos, por essa razão se omite estás quantidades no modelo comportamental simples do SIR. Usando uma população fixa, Kermack e McKendrick chegaram nas seguintes equações diferencias que descrevem a dinâmica de uma epidemia <ref name=SIR> MCKENDRICK, A.G.; KERMACK, W. O.. Mathematical Theory of Epidemics. Disponível em: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k56208r/f728.item.langFR </ref>:
 +
 +
<math>
 +
    \frac{dS}{dt} = - \Beta IS  \qquad (1)
 +
</math>
 +
 +
<math>
 +
    \frac{dI}{dt} =  \beta IS - \gamma I \qquad (2)
 +
</math>
 +
 +
<math>
 +
    \frac{dR}{dt} = \gamma I \qquad (3)
 +
</math>
 +
 +
O sistema descrito pelas equações acima é não linear, porém é possível derivar uma solução analítica de forma implícita <ref> Harko, Tiberiu; Lobo, Francisco S. N.; Mak, M. K. (2014). "Exact analytical solutions of the Susceptible-Infected-Recovered (SIR) epidemic model and of the SIR model with equal death and birth rates". Applied Mathematics and Computation. 236: 184–194. arXiv:1403.2160. Bibcode:2014arXiv1403.2160H. doi:10.1016/j.amc.2014.03.030. S2CID 14509477 </ref>.
  
 
=== Modelo SIR com quarentena voluntária ===
 
=== Modelo SIR com quarentena voluntária ===

Edição das 13h55min de 23 de novembro de 2021

Em construção

Grupo: Gabriel Schmökel, Julia Remus e Luis Gustavo Lang Gaiato


O objetivo do trabalho é realizar a implementação do modelo SIR e de um modelo simplificado do proposto pelo artigo "An epidemiological model with voluntary quarantine strategies governed by evolutionary game dynamics" [1] utilizando Monte Carlo.

Será apresentada uma breve introdução sobre o tema e as equações que envolvem o desenvolvimento dos cálculos, as implementações e seus respectivos resultados.

Introdução

O objetivo do trabalho é realizar a implementação do modelo SIR e de um modelo simplificado do proposto pelo artigo "An epidemiological model with voluntary quarantine strategies governed by evolutionary game dynamics" [1] utilizando Monte Carlo.

O modelo apresentado por Marco Amaral, et al [1] propõe que o indivíduo escolha fazer a quarentena dependendo do risco que observa a partir da quantidade de infectados no sistema. Acoplada à escolha pela quarentena está o modelo SIR com parâmetros distintos para indivíduos não isolados e isolados. Para realizar a simulação os autores utilizam a teoria de campo médio, obtendo ondas de infecção ao longo do tempo.

Neste trabalho, a escolha do indivíduo pela quarentena se dará de acordo com o estado do seus vizinhos mais próximos - utilizado o dilema do prisioneiro -, enquanto a evolução dos infectados no sistema será realizada com o modelo SIR tal como na referência citada. Para a simulação foi utilizado o método de Monte Carlo.

O esquemático do modelo SIR com a escolha da quarentena pode ser visto na seção Modelo SIR com quarentena voluntária.

Modelos

Modelo SIR

Esquemáto modelo SIR

Em 1927 Kermack e McKendrick elaboraram o modelo SIR que tinha como função descrever o comportamento de uma pandemia [2]. O modelo SIR é um dos mais simples modelos comportamentais, o qual descreve a variação de três parâmetros ao longo do tempo:

  • Susceptível (S): Número de indivíduos suscetíveis. Quando um indivíduo suscetível e um infectado entram em contato, o indivíduo suscetível tem uma probabilidade de contrair a doença, caso contraia o indivíduo deixa de ser suscetível e torna-se infectado.
  • Infectado (I): Número de indivíduos infectados. Indivíduos infectados tem uma probabilidade de infectar indivíduos suscetíveis quando em contato, e uma probabilidade de tornar-se indivíduos removidos a medida que tempo avança.
  • Recuperado ou Removido (R): Número de indivíduos removidos (recuperados ou mortos pela doença). Indivíduos que foram infectados, tornam-se recuperados ou mortos pela doença, desta forma entram na classificação de indivíduos removidos, já que não são mais suscetíveis a pegar a doença, pois adquiriram imunidade. Assumindo que o número de mortos é irrelevante ao se comparar com a população total, então o parâmetro R recebe o nome de indivíduos recuperados ou resistentes.

A dinâmica de uma epidemia geralmente é mais rápida do que os números de nascimentos e óbitos, por essa razão se omite estás quantidades no modelo comportamental simples do SIR. Usando uma população fixa, Kermack e McKendrick chegaram nas seguintes equações diferencias que descrevem a dinâmica de uma epidemia [2]:

O sistema descrito pelas equações acima é não linear, porém é possível derivar uma solução analítica de forma implícita [3].

Modelo SIR com quarentena voluntária

Esquemáto modelo SIR com quarentena voluntária em suscetíveis

No esquemático pode-se ver o modelo utilizado no trabalho, ele é uma simplificação do artigo escrito por Amaral, et al [1]. Nele temos:

  • Componentes suscetíveis podem estar ou não em quarentena. A probabilidade para a escolha da quarentena ocorrer depende de quantos infectados há nos vizinhos.
  • Ao escolher estar ou não em quarentena, esses componentes tem probabilidades diferentes de adquirir a doença ( e ) e se tornar infectados.
  • Infectados possuem a mesma probabilidade de se tornarem recuperados.
  • Após recuperados da doença, as pessoas não conseguem adquiri-lá novamente.
  • Todos os indivíduos escolhem estar ou não isolados, modificando a escolha do vizinho, mas somente a quarentena dos suscetíveis afeta a evolução SIR.


Para simular a quarentena voluntária é utilizado o jogo definido pelo Dilema do Prisioneiro. Esse dilema descreve a situação onde dois condenados (A e B) precisam decidir se colaboram ou não sem saber a decisão do seu par. Para isso temos 4 possibilidades: A e B colaboram (ambos saem com uma recompensa R), A colabora mas B não colabora (B ficaria com o valor da tentação T e A com o custo do sonso S), o caso contrário onde A não colabora e B colabora e A e B não colaboram (ambos ganham com uma penalidade P). [4]

Essas possibilidades podem ser resumidas em uma matriz de perdas e ganhos (matriz de payoff):

A coopera A não coopera
B coopera R / R S / T
B não coopera T / S P / P


Os valores da matriz payoff devem obedecer a ordem T > R > P > S. Além disso, para simulações com várias iterações deve ser obedecido que 2R > T + S. [4]

A proposta de observar a evolução da infecção dependendo da quarentena precisa utilizar mais de um par de interagentes, por isso é definido uma rede onde cada componente possui um ponto fixo. A partir disso, cada um desses componentes interagem com seus quatro vizinhos mais próximos (para os pontos do contorno é utilizado que as bordas são unidas por condições de contorno periódicas). [4]

Segundo Hauert e Szabó [4], os colaboradores tendem a ser extintos em jogos que consideram a interação aleatória, independente da sua concentração inicial, ou seja, todos tendem a não ganhar nada (não colaborar mutuamente) a fim de reduzir custos. Enquanto isso, se for proposto que um componente só escolhe uma estratégia conforme seus vizinhos, é visto é a formação de clusters de cooperadores e de não cooperadores; com isso, os componentes que estão na borda desses espaços, ganham na interação com os vizinhos colaboradores e perdem com a outra interação.


Esse jogo de quarentena é acoplado ao sistema SIR anteriormente descrito. A única diferença para o SIR sem o jogo é que as probabilidades de um componente S se tornar infectado mudam a partir do seu estado de quarentena.

Implementação

Os códigos da simulação foram implementados na linguagem C, para a visualização foi utilizada a linguagem Python.

Implementação modelo SIR

Talvezzzz: Usar essa Analytical solution of SIR-model [5] pra verificar se o código funciona

Implementação modelo SIR com quarentena voluntária

Algumas modificações são realizadas no código anterior: a probabilidade do indivíduo passar de suscetível a infectado depende da escolha pela quarentena e é adicionada a parte da escolha individual.

Inicialmente é definida a matriz de payoff, os parâmetros diferentes para indivíduos suscetíveis e os vetores que conterão os estados de quarentena.



A função do jogo (escolha pelo isolamento) é definido abaixo.

void jogo(int t){

    /*
    Dinâmica da escolha voluntária do quarentenado ou não
    */
	
    int sitio, i, j, k;
    double prob;
    double sums, sumv;
    int vizinho, dir;

    for (i=0;i<L2;i++){
	    
      sitio = FRANDOM * L2;
      dir = FRANDOM * 4 + 1;
      vizinho = viz[sitio][dir];
      sums = 0;
      sumv = 0;

      for(j=1 ; j < 5 ; j++) {
         sums += payoff[dmc_quarentena[sitio]][dmc_quarentena[viz[sitio][j]]];
         sumv += payoff[dmc_quarentena[vizinho]][dmc_quarentena[viz[vizinho][j]]];
      }
    
      prob = 1.0 / (1.0 + exp(-(sumv - sums) / TEMP ));
    
      if(FRANDOM > prob) {
      	dmc_quarentena[sitio] = dmc_quarentena[vizinho];
      }

    }

    // Escreve o estado de quarentena no arquivo, cada tempo uma linha

    FILE *dmcfile;
    char output2[10000];
    sprintf(output2, "output_dinamica_loc.txt");
    dmcfile = fopen(output2,"a");

    for(k=0; k<L2; k++){

      fprintf(dmcfile," %d ", dmc_quarentena[k]);

    }

    fprintf(dmcfile," \n ");
    fclose(dmcfile);

  return;
}

Visualização

#!/usr/bin/env python3
# -*- coding: utf-8 -*-
"""
Graficos - Trabalho SIR e SIR modificado
"""

import matplotlib.pyplot as plt
import pandas as pd
import numpy as np
from matplotlib import animation

#%% Read data

data = pd.read_csv('./output.txt', 
                    sep=" ", index_col=False)  # sir x tempo
data.sort_values(by='t', ascending=True, inplace=True)

data.set_index('t', inplace=True)


data_j = pd.read_csv('./output_jogo.txt', 
                    sep=" ", index_col=False)  # sir x tempo
data_j.sort_values(by='t', ascending=True, inplace=True)

data_j.set_index('t', inplace=True)

data['total'] = data['r'] + data['i'] + data['s']

L2 = data['s'][0]


#%% SIR versus time

plt.title('Evolução temporal da doença')

data = data / L2  # normalização da população
# data_j = data_j / data_j['s'][0]  # normalização da população

plt.plot(data['r'], label='R')
plt.plot(data['s'], label='S')
plt.plot(data['i'], label='I')

# data_j = data_j / data_j['s'][0]  # normalização da população

# plt.plot(data_j['r'], label='R jogo')
# plt.plot(data_j['s'], label='S jogo')
# plt.plot(data_j['i'], label='I jogo')

plt.ylabel('Fração da população')
plt.xlabel('Tempo')

plt.grid()

plt.legend()
#%% Dinamica da quarentena voluntaria

dmc_loc = np.loadtxt('./dados/output_dinamica_loc.txt') # lê o arquivo
#%%
L = int(np.sqrt(np.shape(dmc_loc)[1]))

# forma uma malha LxL, pra poder plotar como se fosse x - y - z

x = y = np.arange(0, L, 1)

xv, yv = np.meshgrid(x, y)


def animate(i):
    plt.clf()  # limpa a figura, pra nao ficar sobrepondo figs

    # # titulos
    plt.suptitle('Evolução da dinâmica de quarentenados', fontsize=14)
    plt.title(f'Tempo: {i}', fontsize=10)
    
    
    quarentena = np.zeros(shape=(L, L))
    
    
    for j in range(L):
        
        quarentena[j] = dmc_loc[i, j*L : (j+1) * L]
        
    # # plot
    graph = plt.scatter(xv,yv, c= quarentena, marker='.', vmax=1.0, vmin=0.0)
    

    return graph

fig, ax = plt.subplots()
ani = animation.FuncAnimation(fig, animate, frames = len(dmc_loc), repeat=False, interval=5)



#%% Reorganiza para plot da quantidade por tempo

quarentena, nao_quarentena = [], []

for i in range(len(dmc_loc)):
    
    quarentena.append(len(np.where(dmc_loc[i] == 0)[0])/L2)
    
    
    nao_quarentena.append(len(np.where(dmc_loc[i] == 1)[0])/L2)
    
#%% Evolução da quantidade de quarentenados e infectados

fig, ax = plt.subplots()

ax2 = ax.twinx()

plt.title('Evolução da quantidade de quarentenados e infectados')

ax.plot(quarentena, label='QT', color='black', alpha=0.8)

# ax.plot(nao_quarentena, label='QN', color='red', alpha=0.6)

# ax.set_ylim(0, 1600*1.5)
ax2.plot(data['i'], label='I')
# ax.plot(data['r'], label='I')
# ax.plot(data['s'], label='I')
    
ax.legend(loc='lower left')
# ax2.legend(loc='lower right')

Resultados e Discussão

  •  ?



  • evolução temporal monte carlo SIR com jogo
  • evolução temporal monte carlo SIR com jogo e quantidade de quarentenados por passo
  • evolução temporal monte carlo SIR com jogo e SIR normal
  • animações com quarentenados e sir (acho que o pessoal gosta kkk)

Resultado certo +-:

  1. define BETA_Q 0.0 // probabilidade S_Q -> I
  2. define BETA_N 0.1 // probabilidade S_N -> I
  3. define GAMA 0.5
 payoff[0][0] = 0.5; // Recompensa
 payoff[0][1] = -0.5; // Sonso
 payoff[1][0] = 1.0; // Tentação
 payoff[1][1] = -0.8; // Penalidade   ERRADO, P > S!

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 AMARAL, Marco; OLIVEIRA, Marcelo de; JAVARONE, Marco, An epidemiological model with voluntary quarantine strategies governed by evolutionary game dynamics. arXiv:2008.05979v2 [physics.soc-ph] .
  2. 2,0 2,1 MCKENDRICK, A.G.; KERMACK, W. O.. Mathematical Theory of Epidemics. Disponível em: https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k56208r/f728.item.langFR
  3. Harko, Tiberiu; Lobo, Francisco S. N.; Mak, M. K. (2014). "Exact analytical solutions of the Susceptible-Infected-Recovered (SIR) epidemic model and of the SIR model with equal death and birth rates". Applied Mathematics and Computation. 236: 184–194. arXiv:1403.2160. Bibcode:2014arXiv1403.2160H. doi:10.1016/j.amc.2014.03.030. S2CID 14509477
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 HAUERT, Christoph; SZABÓ, György. Game theory and physics. DOI: 10.1119/1.18485144 .
  5. Analytical solution of SIR-model